Go to Top

Couros

- COURO

Com o nome de pele e diversas características resistentes e elásticas, envolve o corpo dos animais e apresenta muitas funções fisiológicas.
Uma delas é a de regular e manter constante a temperatura do corpo que cobre. A função de termorregulação é efetuada por meio das glândulas sebáceas e sudoríparas. Com o aumento da temperatura, entram em funcionamento as glândulas sudoríparas, favorecendo pela evaporação de água e perda de calor. Com a diminuição da temperatura, as glândulas sebáceas reagem e podem cobrir a pele com óleo, reduzindo desta maneira a perda de calor. Funcionando como um filtro de cor, evita a destruição dos tecidos subjacentes pela ação dos raios solares. A pele possui ainda terminações nervosas, responsáveis pela recepção de estímulos que provocam diferentes tipos de sensações (calor, frio, etc). A pele protege contra a invasão bacteriana e agentes exteriores.

TRATAMENTO DO COURO
A pele animal, assim como é recebida pelo curtidor, poderá ser dividida em três partes: a epiderme, a derme e a hipoderme.
Quando é retirada do animal, não serve para a utilização, pois está sujeita a decomposição, então, precisa passar pelo processo de transformação em couro.
Com base em estudos técnicos e científicos realizados nos últimos anos por renomadas instituições de pesquisas, por meio de análises estatísticas no uso de calçados e de testes dos materiais, bem como pelas nossas próprias manifestações de sensação de conforto no uso de calçado com cabedais de couro, podemos concluir objetivamente o que segue:

a) Através de suas propriedades estruturais de plasticidade, elasticidade e resistência, o couro tem excelente capacidade de amoldar-se ao formato do pé e de absorver as variações de volume que ocorre no decorrer do dia;
b) Em função da estrutura fibrosa e microporosa, o couro favorece ao equilíbrio microclimático do interior do calçado pela:

1°- Capacidade de absolver o suor, especialmente nas zonas do pé em que a transpiração é mais intensa e distribuí-la por toda a sua estrutura;
2º- Capacidade de armazenar o suor sem parecer encharcado;
3º- Capacidade de ser permeável no ar e ao vapor d’água expelindo em fluxo contínuo, o que favorece a manutenção confortável dentro do calçado.

Em conseqüência destas propriedades, conclui-se que o couro além de favorecer a confortabilidade do calçado, tem qualidades higiênicas excepcionais, pois:

a) Evita deformações ósseas e lesões da pele.
b) Afecções nos aparelhos respiratórios e outros sistemas funcionais do corpo.
c) Evita a formação de um ambiente propício ao desenvolvimento do pé.

COURO HIDROFUGADO
Significa produzir um couro, mantendo as características naturais da própria pele e apresentando resistência a passagem da água.

Existem diferentes agentes hidrofugantes, com os quais se realiza uma impregnação aberta ou fechada. Num dos casos, as fibras são umedecidas através dos agentes hidrofugantes e impedem a penetração da água.

O couro hidrofugado é um produto excelente para ambientes com umidade excessiva e água, além de apresentar uma resistência superior ao couro convencional, pois sua estrutura fibrosa é composta por um maior índice de óleos graxos. Para a sua produção são utilizados diversos produtos químicos, que são adicionados no processo de curtimento, dando-lhe características hidrofóbicas. Esses produtos lubrificam e impedem a passagem de partículas de água pela porosidade da flor do couro ou carnal. Os couros hidrofugados perdem sua cadeia de hidrofugação quando em contato com hidróxidos (sabão industrial, ácidos fortes, cimento, cal). O couro hidrofugado apresenta resistência 50% maior ao rasgamento e ruptura e é ideal para água e temperatura baixa, pois em contato com temperaturas elevadas o couro perde as características de transpiração troca vapores através da porosidade e fica sem toque (armado, duro).